Gasolina da Shell promete deixar os bicos injetores 80% mais limpos após o primeiro abastecimento

Nova V-Power promete bicos 80% mais limpos após o primeiro abastecimento

Desde o dia 16 de outubro de 2017 está disponível nos 6 mil postos Shell espalhados por todo o Brasil a gasolina aditivada Shell V-Power e a Shell V-Power Racing  com a tecnologia Dynaflex.

O novo aditivo tem como objetivo de melhorar a performance e o rendimento e limpar de maneira mais eficiente os motores que equipam os veículos brasileiros.

Segundo o diretor de marketing da Raizen, empresa responsável pela marca Shell no Brasil, o produto foi desenvolvido pela Ferrari na F1 e desde 2014 é utilizado pelos carros da fábrica de Maranello, resultando em 23% de aumento na performance e redução de meio segundo no tempo de volta dos carros de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen.

Após o primeiro abastecimento com a nova Shell V-Power, o aditivo presente na gasolina, segundo testes realizados pelo fabricante, deixou os bicos injetores até 80% mais limpos devido a nova formulação ter na composição 40% mais moléculas de limpeza.

Além disso, houve redução no atrito das partes internas do propulsor, como válvulas, anéis de pistões, bombas e bicos injetores, conforme explicou Eduardo Wantuil, diretor de Marketing da Raízen. “Isso ajuda com que menos energia seja desperdiçada em calor.

Ainda segundo Eduardo, a nova fórmula possui dispersantes que transformam pequenas partículas, que podem ficar acumuladas nos componentes, em grãos microscópicos. Dessa forma, deixando livre o caminho do combustível para o motor.

Tecnologia downsizing

Outro que ressalta os ganhos com a utilização do combustível é o engenheiro de combustíveis da Raízen, Gilberto Pose.

Ele informa que a evolução da tendência downsizing fez com que os motores trabalhem mais sujeitos a altas temperaturas e pressões.

Dessa forma, o redutor de atrito atua nos quatro ciclos do motor, reduzindo a perda de energia. Ou seja, mesmo após a gasolina queimar, o redutor continua incorporado nos cilindros. “Na primeira partida da manhã há uma proteção que ficou no último funcionamento do motor”, informou Gilberto.

Com relação à octanagem, a marca manteve a composição da Shell V-Power Racing, ou seja, 91 IAD e pode durar até 18 meses se armazenada de forma adequada, contra seis meses da gasolina comum.

 

Comentários

Comentários