• Waldez Amorim
  • 05/08/2016 - 14:44:41
  • CHEVROLET

Não é o que parece ser: Proprietários reclamam de Meriva com problemas no câmbio Easytronic

Meriva com problemas no câmbio Easytronic

A vantagem de um automóvel equipado com câmbio automatizado é poder ter o conforto de uma transmissão automática (entenda-se, não precisar trocar de marcha), mas pagando um preço menor. Imagine o problema que se tem nas mãos quando esse câmbio dá tanto defeito e despesa que é melhor mandar retirá-lo do carro para trocá-lo por uma caixa manual. Pois é que vem acontecendo com alguns donos de Chevrolet Meriva 1.8 Easytronic, principalmente taxistas, devido ao uso mais intenso em tráfego urbano.

“Primeiro foram os trancos, que começaram quando eu engatava a marcha à ré para sair da garagem. Mais tarde vieram outros defeitos, entre eles uma marcha engatar de repente e o carro sair correndo em alta velocidade. Depois de gastar 7500 reais em oficinas, optei por colocar um câmbio manual”, diz Alexsandro Muger Magalhães, taxista proprietário de uma Meriva 2009. “Três colegas já fizeram essa troca e depois eu indiquei para mais de dez pessoas.”

Outro taxista que recorreu à troca do câmbio foi o carioca Hudson Santos Brandão. “Minha Meriva 2009 começou a patinar na troca das marchas. Eu tinha de ficar ligando e desligando o motor até o câmbio voltar a funcionar. Na concessionária tive de trocar a embreagem várias vezes, mas nunca resolvia. Colocavam a culpa no kit de gás natural, mas nunca disseram antes que eu não poderia fazer a conversão”, afirma Hudson. “Depois de levar o carro mais de 12 vezes a diversas oficinas, de ficar mais de dois meses sem trabalhar e gastar mais de 9000 reais, preferi mandar colocar uma caixa manual.”

Há situações em que o taxista acaba ficando no meio do caminho na hora mais imprópria, como aconteceu com a Meriva de Eduardo Santos da Silva, de São Paulo (SP).  “Toda manhã eu precisava ligar e desligar o motor várias vezes para fazer o câmbio funcionar aos trancos. E teve um dia em que meu carro parou no meio da rua quando eu estava levando um passageiro. Tive de chamar outro táxi para ele.”

Não pense, porém, que só os taxistas sofrem com a série de defeitos no câmbio Easytronic, conforme mostra o caso da professora Nilza Maria Silva, de Canoas (RS), proprietária de uma Meriva Premium 2009, com 16000 km rodados. “Três dias depois de eu comprar o carro zero quilômetro, a câmbio não engatava as marchas ou ele funcionava aos trancos. Levei-o várias vezes a duas concessionárias até resolverem o problema”, diz Nilza.

A maioria dos proprietários reclama que nunca há uma só solução para o caso e que quase sempre elas não resolvem o defeito definitivamente. Às vezes a autorizada troca o kit de embreagem, outras fazem uma reprogramação do sistema ou até mesmo substituem o módulo de comando eletrônico, que pode custar mais de 5000 reais.

O POVO RECLAMA
“Três dias após eu comprar o carro as marchas não engatavam ou o câmbio funcionava aos trancos.”
Nilza Maria Silva, professora, Canoas (RS)

“Aos 33000 km, o carro parou de repente no meio de uma grande avenida.”
Jaques Oliveira Marques, taxista, Belo Horizonte (MG)

A Resposta: A GM do Brasil diz “que os casos indicados pela reportagem são pontuais e não se referem à quebra de câmbio. Eventuais não conformidades no regular funcionamento do sistema de transmissão são corrigidos pela rede de concessionárias Chevrolet, a qual está tecnicamente preparada para atender qualquer tipo de serviço.”

Comentários

Comentários